Juliette Freire foi acusada de fazer campanha antecipada para o Pré-Candidato à Presidência

Juliette Freire foi acusada de fazer campanha antecipada para o pré-candidato à Presidência Lula em um show realizado em Caruaru, em Pernambuco. Rubinho Nunes, vereador de São Paulo, foi quem formalizou a representação contra a cantora.

Nunes e Guto Zacarias, do MBL (Movimento Brasil Livre), afirmam que Juliette fez propaganda a favor de Lula fora do período eleitoral, o que é proibido pela Justiça eleitoral. Segundo eles, a cantora incentivou o público a gritar o nome do ex-presidente.

“A ‘artista’, Juliette quis usar dinheiro público para cometer dois ilícitos eleitorais ao mesmo tempo: campanha antecipada e realização de showmício ao incentivar o público a gritos de apoio a Lula. Junto ao Guto Zacarias, processei esse absurdo! O dinheiro não vai ser utilizado para fazer campanha política de ex-presidiário”, disse Rubinho Nunes em suas redes sociais.

Juliette Freire foi acusada de fazer campanha antecipada para o pré-candidato à Presidência - Foto: Divulgação
Juliette Freire foi acusada de fazer campanha antecipada para o pré-candidato à Presidência – Foto: Divulgação

O caso viralizou na web e Felipe Neto se pronunciou sobre o processo. “Quando você perder, avisa a gente? Brasil está precisando dar risada da cara de pessoas como você. Abraço, querido”, debochou o youtuber.

“Opa, Felipe! Ficou tristinho que seus amigos não vão mais poder usar dinheiro público para sinalizar apoio ao cachaceiro? E fica tranquilo! Para o Brasil rir, basta você sair da banheira de Nutella e fingir que é inteligente, ou armar entrevista falando que está solteiro”, rebateu o vereador Rubinho Nunes.