Connect with us

Colunistas

“Mesmo com turnê esgotada sou reduzida a aparência”, diz Manu Gavassi

Publicado a

em

De turnê esgotada e protagonizando a nova série brasileira da Netflix, Maldivas, Manu Gavassi fez uma reflexão sobre por que as artistas mulheres continuam sendo noticiadas com o enfoque em sua estética, ao invés de seus feitos. “Tô pra fazer 30 anos daqui a pouco e tô com zero paciência pra continuarmos sendo reduzidas a nossa aparência e não a nossa carreira”, desabafou a artista.

Tudo começou após a cantora se sentir incomodada por uma manchete que foi veiculada sobre ela, que tinha como foco principal as mudanças em seu físico, apesar do grande sucesso da cantora. Além de apontar a recorrência da situação com outras mulheres, ela propôs um exercício: “Coloquei nome de atores e cantores homens com mais ou menos a minha idade e fui ver a capa deles. NENHUMA os reduzia a aparência. Alguma cirurgia? Botox? Mudança de cabelo? Nenhuma citava isso a respeito deles. Apenas suas grandes conquistas profissionais, não importa se são de fato grandes ou não. Daí eu dei um Google nas mulheres e a história já muda um pouco…”

“Mesmo com turnê esgotada sou reduzida a aparência”, diz Manu Gavassi - Foto: Reprodução / Instagram

“Mesmo com turnê esgotada sou reduzida a aparência”, diz Manu Gavassi – Foto: Reprodução / Instagram

A cantora foi muito apoiada por grandes nomes femininos do ramo, como Thelminha, Karen Jonz, Giovanna Grigio e Maisa.

Manu é a responsável pela concepção visual de sua turnê Eu Só Queria Ser Normal, que estreou na sexta-feira passada (22/7) e teve ensaios ao longo de três meses, como a própria artista relembrou. A também atriz também não deixou de citar seu trabalho como protagonista na série Maldivas, da Netflix. Este é o projeto brasileiro de maior investimento atual da empresa.

Mistura de Rita com Amélie, Manu Gavassi reforçou a crítica que fazia: “Na boa, tô pra fazer trinta anos daqui a pouco e tô com zero paciência pra continuarmos sendo reduzidas a nossa aparência e não a nossa carreira. Foi por conta disso, aliás, que fiz e desfiz plástica, por conta dessa abordagem da mídia aos nossos corpos.”

Com letras que dizem: “Quero ser foda, ambição minha. Mas continuam me chamando de gracinha” e “Ninguém nunca mudou nada com mistério”, a compositora sempre deixou claro a sua vontade de ver mudanças reais na forma em que mulheres são apresentadas. Em seu relato neste domingo, Manu Gavassi finalizou dizendo como deseja que seja o futuro:

“Que no futuro eu seja uma velinha sacudida, com uma carreira construída e que esteja passando na banca (ainda existirão bancas?) e vejo uma artista mais nova que me lembrará muito eu nos velhos tempos com a manchete: ‘Mais uma pra nossa lista gigantesca de mulheres brasileiras e criativas: Fulaninha brilha em nova turnê pelo Brasil com concepção artística criada por ela, enquanto comemora o sucesso de sua última personagem e se desdobra pra dar conta de todos os novos projetos. O céu é o limite!’ Daí vou respirar aliviada”.

Continue Lendo
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais Lidas

© Todos os direitos reservados