Na CCXP22, Bruno Gagliasso e Fernando Meirelles criticam governo Bolsonaro

O primeiro dia de CCXP22 já garantiu uma boa pitada de crítica ao governo Bolsonaro, em seus últimos dias de mandato antes de passar a faixa para Lula, presidente eleito do Brasil. Tudo graças a Bruno Gagliasso e Fernando Meirelles.

Participando de painel sobre a Amazônia, ao lado do ativista indígena Almir Suruí, tanto o ator como o cineasta criticaram as ações do atual governo em relação à preservação do meio ambiente, em especial da floresta Amazônica.

Bruno Gagliasso, que também utiliza suas redes sociais para denunciar queimadas e desmatamentos na Amazônia, fez o que pode para ajudar na preservação da floresta.

“Logo no começo desse desgoverno teve uma onda de queimadas muito forte. Uma área não pega fogo sozinha e eu fiquei louco porque o governo acusou que era mentira, coisa da imprensa”, afirmou o ator, que completou:

“Falei com o Greenpeace e fui para a Amazônia, para denunciar mesmo. Usei minhas redes sociais para denunciar. Sobrevoei, mostrei e fiz alguma coisa, me senti útil de alguma maneira”

Ainda no painel, Fernando Meirelles também alfinetou o governo Bolsonaro e alertou para a importância do voto para as causas ambientais no Brasil.

“É importante prestar atenção em que elegemos. Não adianta votar no Bananinha”, afirmou o cineasta.

“Todas as decisões que vão mudar o panorama ou as perspectivas que são muito ruins com relação a isso dependem de decisões políticas. Para virar o jogo tem que mudar a matriz energética, votar em pessoas que têm compromisso com isso”, completou.

 

Fotos: Brazil News / Manu Scarpa