Renata Banhara discorre sobre as dificuldades das Mulheres na política

Diante de tantas ações que buscam garantir maior participação das mulheres na política,, para mudar essa realidade, é imprescindível não somente o estímulo ao lançamento de mais candidaturas femininas, mas também o apoio efetivo para que as candidatas sejam vistas com credibilidade e força política pela população.

As ações educativas para combater a desigualdade de gênero; combater as distorções históricas e seculares que colocaram a mulher em segundo plano, são fundamentais para o esclarecimento e maturação de que políticas públicas para mulheres devem ser geridas por mulheres.

As mulheres ocupam apenas 15% das cadeiras na Câmara dos Deputados; no Senado, são 13%. Nas assembleias estaduais, a mesma situação: apenas 161 mulheres foram eleitas, o que também representa uma média de 15% do total de postos. Lamentável!

Temos de garantir a paridade de gênero no Congresso Nacional e nas assembleias. As mulheres são 50% do eleitorado brasileiro. A lei que exigiu um mínimo de 30% de mulheres candidatas nas chapas foi importante, mas não é suficiente.

As Mulheres precisam criar uma rede de apoio, é importante as mulheres praticarem a sororidade e votarem em candidatas mulheres, assim fortaleceremos este elo.
A política necessita e deve ser assunto de mulher sim! É relevante a escolha de candidatos e candidatas compromissados com políticas públicas e propostas para as mulheres e para o nosso Brasil, conclui Banhara.

Acompanhe as redes sociais @rebanhara @sos.mulheroficial

Crédito das Fotos: Dereck Gomes

Crédito das Fotos: Dereck Gomes
Crédito das Fotos: Dereck Gomes