Setembro Amarelo: você sabia que o cacau pode auxiliar na depressão?

Especialista explica como esse super alimento pode ajudar no tratamento da doença, além de ofertar bem-estar, prazer e felicidade.

Você sabia que o chocolate tem como alguns benefícios oferecer bem-estar, prazer e felicidade? Sim, esse super alimento pode ajudar ainda a liberar endorfina, ajudando em casos de depressão e ansiedade. E neste mês, que acontece o setembro amarelo – campanha de prevenção ao suicídio e depressão – é importante destacar os efeitos que o chocolate tem no organismo.

“Alguns alimentos podem estimular a produção de endorfina, como o chocolate. Não é à toa que você sente aquela sensação de prazer após comer um bombom. O chocolate também é rico em tirosina, substância que estimula não só a liberação de endorfina, como também a produção de serotonina e dopamina”, explica Beatrix Ricco, embaixadora do Cacau.

Seja ele branco, amargo, em barra ou como bombom, é inegável a sensação de mudança de humor quando comemos um chocolate. O segredo está na grande presença de flavonoides, que estão presentes no cacau, principal matéria-prima do chocolate. Esses compostos orgânicos são responsáveis por garantir desenvolvimento das principais atividades cognitivas, segundo estudo italiano da Universidade de L’Aquila.

Beatrix Ricco - Crédito da Foto: Acervo Pessoal
Beatrix Ricco – Crédito da Foto: Acervo Pessoal

“Esses pontos benéficos para a saúde e o cérebro são atribuídos, principalmente, aos antioxidantes encontrados no cacau. Por isso, o chocolate mais recomendado é o amargo, com mais de 70% de cacau. Além do ganho nas funções cognitivas, os efeitos sobre o humor são incontestáveis. O chocolate influencia o humor devido à presença do aminoácido triptofano, responsável pela produção do neurotransmissor serotonina, conhecido por ser o hormônio da felicidade. A serotonina é responsável pelo humor, sono e apetite. Na falta dessa molécula podem se manifestar depressão e estados de ansiedade. A distribuição de triptofano tem o efeito de atenuar esses sintomas”, destaca.

Para que esses benefícios sejam visíveis, o ideal é que haja um consumo diário do alimento, mas sem exageros.

“Uma barra inteira de chocolate contém grandes quantidades de gordura e açúcar, que podem desencadear problemas como diabete e aumento de peso. O ideal é entre um ou dois quadradinhos por dia, principalmente a versão 70% cacau, rica em flavonoides. O segredo está no equilíbrio”, observa Beatrix.

Segundo a especialista, o cacau é o único alimento que contém anandamida, que é como uma endorfina que o corpo produz após um exercício físico, por exemplo. Esse nome Anandamida  vem da palavra em sânscrito Ananda que quer dizer estado de felicidade absoluta.

O cacau ainda pode imitar o efeito do amor, pois contém a substância química feniletilamina, liberada nos primeiros meses de um relacionamento.

“Isso faz com que a pessoa se sinta excitada e nervosa e pode funcionar como um antidepressivo”, finaliza.