Assessora de Marília Mendonça relembra morte da cantora: ’Fui julgada’

Dor, tensão, tristeza profunda. Saber que um ente querido, um amigo ou um assessorado morreu, de forma trágica, é algo que só quem sente na pele pode falar.

Nesta sábado, 05 de novembro, completa um ano de morte da querida e saudosa Marília Mendonça. Ela morreu em um acidente aéreo, quando chegava ao interior de Minas Gerais para um show em Caratinga. Depois, faria mais uma série de apresentações no estado.

Quando iniciou o procedimento de pouso, a aeronave bateu em um cabo de distribuição de energia e sofreu a queda. Três pessoas morreram. A morte de Marília só foi confirmada às 17h15, depois que fãs identificaram o corpo da cantora do lado de fora do avião (por causa de sua roupa) e, em seguida, oficialmente informada pela família.

Marília Mendonça abraçada à assessora, Silvia Colmenero - Foto: Acervo Pessoal
Marília Mendonça abraçada à assessora, Silvia Colmenero – Foto: Acervo Pessoal

Naquele dia, muitas pessoas foram taxativas, e julgaram a assessora da cantora, Silvia Colmenero, afirmando que ela havia mentido sobre sobreviventes no acidente. Mas na verdade, Silvia, assim como fãs, amigos e familiares de Marília, ainda não sabia sobre a morte de todos que estavam naquele avião.

Em seu Instagram, a jornalista fez um desabafo e uma homenagem à Marília, revelando os momentos em que foi do alívio à tristeza, por saber da passagem da famosa.

“05.11.22/ ano 1 – Há exato um ano vivi os 40 minutos mais intensos da minha vida, fui do alívio de ter recebido a notícia que estavam todos bem a mais profunda tristeza com o fato de não ter sobreviventes no acidente. Fui julgada por algumas pessoas, simplesmente por deduzirem que eu havia mentido.

Para quem me conhece sabe bem: eu jamais faria isso! Tive tanta raiva, aí lembrei do FODA-SE, estas pessoas não fazem a menor diferença na minha vida. Essas pessoas não têm ideia da dor que sentíamos naquele momento, e que por muitas vezes ainda nos consome. Um ano, e ainda nos perguntamos se é verdade, e vem a dura realidade, mas tudo bem vamos seguindo contornando aqui e alí, ‘cuidando’ da memória destes três amigos queridos.

Bora absorver a lição de que o melhor da vida é viver! Sempre gratos pelas aventuras e descobertas incríveis que vivemos. *PS Minha mãezinha é um dos pássaros que voaram para o infinito”, escreveu Colmenero, ao legendar a foto de uma tatuagem com pássaros voando no símbolo do infinito.